Pastor é preso no Canadá após realizar culto presencial

Artur Pawlowski foi acusado de não atender recomendações de saúde das autoridades locais

A polícia de Calgary, no Canadá, prendeu no último sábado (8) o pastor Artur Pawlowski e seu irmão David, por conta da realização de um culto presencial que, segundo as autoridades, teria descumprido restrições de saúde impostas em razão da pandemia de Covid-19.

De acordo com as autoridades canadenses, a prisão foi aplicada no âmbito de uma decisão emitida pelo Tribunal da Rainha, aplicável a reuniões, protestos, manifestações e comício. A regra determinava novas restrições que exigiam o cumprimento de ordens de saúde pública como o uso de máscara, distanciamento físico e limites de lotação.

O governo local então informou que, pouco antes do culto do último final de semana, foi até o pastor Artur e o informou sobre a regra. Entretanto, de acordo com as autoridades, apesar de reconhecer a decisão, ele teria optado por não atender aos requisitos de distanciamento social, uso de máscara e limites de capacidade reduzida, dando assim continuidade ao evento.

Com isso, o pastor Artur e o irmão dele foram presos e acusados ​​de “organizar uma reunião pessoal ilegal, incluindo solicitar, incitar ou convidar outras pessoas a participar de uma reunião pública ilegal, promover e comparecer a uma reunião pública ilegal”.

Pawlowski é um líder religioso bastante conhecido no Canadá e pastor da congregação da Caverna de Adullam, em Calgary, a maior cidade da província de Alberta. Ele ganhou atenção internacional quando a polícia apareceu em sua igreja, no fim de semana da Páscoa, para verificar se as diretrizes locais de medidas contra Covid-19, impostas pelo governo, estavam sendo cumpridas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *